Aulas particulares de Latim Clássico

Para informações sobre o curso de Latim pela internet (via Skype), veja aqui.

Metodologia

As aulas seguem o método de Cambridge Aprendendo Latim (Reading Latin), editado no Brasil pela Editora Odysseus. O estudo da gramática parte sempre da tradução do texto adaptado, isto é, com a ajuda de vocábulário facilitado, o aluno primeiro traduz o texto e depois, durante a aula, o professor o corrige e comenta amplamente seu conteúdo gramatical. As adaptações são retiradas gradativamente, assim, o aluno parte para a tradução de textos originais de modo não abrupto.  Além disso, a aula será enriquecida com materiais-extras, selecionados pelo professor e de acordo com o interesse do aluno, sobre a literatura e cultura latinas.

Público-alvo

Estudantes de direito, história, filosofia, letras, biologia, alunos do ensino médio e todos aqueles que têm interesse em aprender a Língua Latina e adquirir conhecimento sobre cultura e literatura da Antiga Roma.

Objetivos

Níveis 1, 2 e 3.

Através da tradução e estudo, desde as primeiras aulas, de trechos adaptados das comédia teatrais  de Plauto (254 a.C. – 184 a.C.) Aulularia, Bacchides e Amphitruo o aluno terá uma visão geral do sistema lingüístico do latim e será capaz de traduzir frases originais. Dessa forma, serão  lançadas as bases para o desenvolvimento posterior da capacidade de traduzir textos mais complexos. O aluno também será capacitado a consultar dicionários e outros instrumentos de apoio, de forma a estimular a autonomia na tradução de textos latinos mais simples.

Níveis 4 e 5

Tradução de trechos adaptados das Verrinas e das Catilinárias de Cícero (106 a.C. – 43 a.C.) e de trechos originais das res gestae de Augusto.

Nível 6

Tradução de trechos originais de autores variados.

Professora

Beatris Ribeiro Gratti
Mestre em Língüística (Letras Clássicas) pela Universidade Estadual de Campinas

Contato

(19) 981021274

biagratti@gmail.com

Aulas presenciais apenas em Campinas.

Para outros locais, as aulas são online via Skype.

Anúncios

Carpe diem!

Muitas pessoas têm seu primeiro contato com a língua latina através da expressão carpe diem, muitas vezes traduzida como “aproveite o dia”. Creio que tal expressão  tenha se tornado popular com o filme Sociedade dos poetas mortos, de 1989, dirigido por Peter Weir. A expressão é retirada de uma das odes de Horácio (Quintus Horatius Flaccus, 65 – 8 a.C.), a ode 11 do primeiro livro (ode 1.11):

Tu ne quaesieris (scire nefas) quem mihi, quem tibi

finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios

temptaris numeros. Vt melius quicquid erit pati!

Seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam

quae nunc  oppositis debilitat pumicibus mare

Tyrrhenum, sapias, uina liques et spatio breui

spem lomgam reseces. Dum loquimur, fugerit inuida

aetas: carpe diem, quam minimum credula postero.

Não procures saber (é sacrílego) que fim os deuses

darão a mim e a ti, ó Leucônoe, nem tentes os números

babilônios. Como será melhor suportar o que quer que venha a ser!

Se Júpiter concedeu mais invernos ou se o último

que agora quebra no mar Tirreno em suas rochas opostas,

saboreia, filtra os vinhos e retire num espaço breve

a grande esperança. Enquanto falamos foge o invejoso

tempo: aproveita o dia, confia o mínimo no dia de amanhã.

(Trad. Beatris Gratti)