Novas turmas em Piracicaba/SP

Em Agosto teremos novas turmas presenciais de Latim e Grego no Instituto Poíesis, em Piracicaba/SP.

Anúncios

A Atualidade do “Clássico” e o Legado da Arte Antiga para a História da Arte

Local: Instituto Poíesis, em Piracicaba/SP.

Responsável: Prof. Ma. Marcelo Hilsdorf Marotta (Mestre em Arqueologia pelo MAE/USP, doutorando em História da Arte pelo IFCH/UNICAMP e Professor dos Cursos de Extensão da UNICAMP)

O curso tem como objetivo proporcionar uma introdução ao legado da Arte Antiga nos demais períodos históricos através da atualidade da noção de “clássico”, além de abordar diretamente as principais obras de arte antigas dentro de seu próprio contexto. A metodologia consistirá de aulas expositivas centradas em exercícios de leitura e análise dirigida das fontes primárias, isto é, das obras de arte concretas e dos textos gregos e latinos relevantes (traduzidos para línguas modernas), tendo como base especialmente a questão da centralidade da representação da figura humana (masculina e feminina) na pintura, escultura e a arquitetura, bem como a leitura da bibliografia secundária. Vamos nos aprofundar retroativamente no conceito de “clássico”, isto é, partindo de exemplos concretos da arte contemporânea e regredindo progressivamente no tempo, até chegarmos aos exemplos da Arte Antiga. Desse modo, pretende-se marcar heuristicamente para os alunos algumas das inflexões e clivagens fundamentais da história da arte pelas quais a Arte Antiga e o “clássico” são entendidos como conceitos que se sobrepõem, mas nunca são idênticos entre si, de forma a evidenciar que, de um lado, o “clássico” tem sua origem, sentido e justificação última como reiteração do legado da Arte Antiga ao longo da história; de outro, o “clássico” ultimamente chega a alcançar tal autonomia em relação a este legado que poucos ainda reconhecem nele mais do que o mero eco conceitual do último. Dessa forma, a Arte Antiga e o “clássico” se caracterizarem antes como entidades dinâmicas, sujeitas a um contínuo processo de transformação histórico-cultural, e nunca como blocos monolíticos, isentos de contradições e rupturas internas, que serão apresentadas ao longo do curso junto com a discussão de seus princípios teóricos constitutivos e dos cânones da beleza formulados na Antiguidade, ressaltando tanto o que permanece quanto o que se altera ao longo do tempo.

TÓPICOS DO CURSO

1. Valor e Significado da Obra de Arte
Reflexão sobre a questão do Original e a Cópia na arte e o significado da obra de arte como entidade dinâmica, ativa e polissêmica.

2. Literatura e Artes Visuais na Antiguidade
Relações entre a documentação escrita e a documentação visual do ponto de vista de suas influências mútuas, de suas semelhanças e de suas diferenças.

3. Arte Antiga – Clássico x Anticlássico?
Reflexão sobre a noção de “clássico” e sua relevância e atualidade diante das noções de Arte Antiga em contraposição à noção de Tradição Clássica, com especial ênfase para a problemática da especificidade e do significado da Arte Romana e o lugar do Irracional no seio da experiência artística antiga.

4. Princípios da Arte Clássica
Aprofundamento na noção de Arte Clássica a partir de princípios teóricos constitutivos e de cânones da beleza formulados na Antiguidade.

5. A Figura Humana (Masculina e Feminina) como questão central para a Pintura, Escultura e Arquitetura
Exercícios de leitura e análise dirigida tendo como base a representação da figura masculina e feminina, suas semelhanças e diferenças, assim como a centralidade da figura humana para a arquitetura.

Epitáfio de Seikilos

O Epitáfio de Seikilos é um dos mais antigos registros de uma composição musical completa. Foi encontrado na atual Turquia e sua datação é algo entre os séculos II a.C e I d.C. Registrado em uma estela, a inscrição nos informa que a autoria é de um homem chamado Seikilos, que a fez como uma lembrança imortal, talvez para sua esposa Euterpe (embora essa informação esteja incompleta).

Embora breve, o Epitáfio de Seikilos é muito importante para o estudo da música grega antiga. Restrita a poucos profissionais, a complexa notação musical grega é rara de se encontrar registrada em materiais duradouros, como a pedra. O Epitáfio de Seikilos traz  o texto e a notação, sendo assim, o mais antigo registro completo de uma música.

Ὅσον ζῇς, φαίνου,

μηδὲν ὅλως σὺ λυποῦ•

πρὸς ὀλίγον ἐστὶ τὸ ζῆν,

τὸ τέλος ὁ xρόνος ἀπαιτεῖ.

Enquanto viveres, brilha!

Não te aborreças com nada, absolutamente!

O viver existe brevemente,

O tempo exige de volta o fim.

(Tradução Beatris Gratti)

Há tentativas modernas de reconstruir a sonoridade antiga através de estudo das notações que chegaram a nós e dos comentários de autores antigos sobre o tema. Abaixo, coloco um video encontrado no YouTube de um grupo que tentou reconstruir o Epitáfio de Seikilos.