Carpe Diem!

O primeiro texto publicado no blog , em março de 2010, trazia a tradução da Ode 1,11 de Horácio, o poema que cunhou a expressão Carpe Diem. Um dos meus preferidos, foi o primeiro poema que traduzi quando ainda estava no primeiro ano de estudos de língua latina na graduação da Unicamp.

Hoje eu recebo pela fan page do Facebook um áudio do Guilherme Flores cantando sua versão do poema. O resultado é belíssimo! Confiram no link abaixo:

https://soundcloud.com/guilherme-gontijo-flores/ode-111-carmen-111

 

Parkes_Michael-Anubis

Arte de Parkes, Michael-Anubis

 

O conceito de carpe diem está intimamente ligado ao conceito de memento mori.

Anúncios

Ninguém vive só de Amor (?)

BRUEGHEL, Jan the Younger - venus ceres e bacchus

BRUEGHEL, Jan the Younger – Venus, Ceres e Bacchus

Ninguém vive só de amor, é o que nos diz a sabedoria popular sobre os relacionamentos amorosos. Mas se o próprio amor não nos basta, o que mais nos é necessário?

Não há uma resposta única, nem jamais haverá uma fórmula para relacionamentos felizes, mas o poeta Terêncio (195-159 a.C.) nos dá uma dica preciosa:

Verbum hercle hoc verum erit: Sine Cerere et Libero friget Venus

Este dito há de ser verdadeiro: sem Ceres e Liber, Vênus congela.

Ceres é a divindade que preside a agricultura. É a própria vegetação, principalmente os grãos que saciam a fome dos humanos. Etimologicamente, a palavra “Ceres” está intimamente ligada aos verbos latinos creo (criar) e cresco (crescer, vir a existir). Assim, podemos entender Ceres como a própria Existência ou Criação. Nos confirma essa afirmação um escólio de Virgílio Cererem a creando dictam, “É dito que Ceres vêm de ‘criar’.”

Liber é a divindade itálica que preside o cultivo e a produção dos vinhos e a fertilidade dos campos. Essencialmente, Liber é muito semelhante ao grego Dionísio. Um dos nomes celebrativos de Dionísio é Baco, e foi com esse nome que seu culto foi introduzido em Roma, tendo sido identificado com o antiquíssimo Liber.
Liber, Baco e Dionísio acabaram permanecendo na memória cultural coletiva muitas vezes apenas reduzido à embriaguez causada pelo excesso de consumo de alcool. Porém, a força e presença dessas divindades em nosso mundo vai muito além disso. A palavra Liber está intimamente ligada, em sua etimologia, à palavra ‘liberdade’. Dionísio é a divindade que inspira o furor nas mulheres e as fazem abandonar todas as convenções sociais impostas pelos homens na sociedade patriarcal. Quando tocadas por Dionísio, as mulheres abandonam seus papéis sociais de mães e esposas, por exemplo, e reúnem-se nas florestas para dançar em volta do fogo e se embriagar.

Sine Cerere et Libero friget Venus. Ou, como a máxima se perpetuou: Sine Cerere et Baccho friget Venus.

Sem Ceres (abundância, satisfação, atividade criativa, auto-existência)e sem Baco (liberdade, independência das expectativas sociais, fertilidade no sentido mais amplo), Vênus (o amor, a beleza, a alegria) morre fria e congelada.